Alterações Estéticas e Soluções

•Espaço entre os dentes

Espaços entre os dentes são denominados diastemas e eles podem ser corrigidos de forma altamente conservadora, isto é, sem a necessidade de desgaste dentário, com o uso de resinas compostas. A simples colocação de resina sobre o esmalte dentário condicionado e recoberto com uma camada adesiva pode restaurar forma e harmonizar o sorriso corrigindo proporções dente por dente e fechando os espaços pré-existentes

Presença de pequeno diastema entre os incisivos centrais superiores.

Apenas o condicionamento ácido e aplicação do sistema adesivo são suficientes para reter o material restaurador. Não é necessário desgaste com brocas.

Caso solucionado com resina composta.

•Próteses com aspecto acinzentado

Atualmente as próteses podem ser confeccionadas utilizando apenas materiais estéticos. Um grande exemplo disso são as cerâmicas odontológicas atuais que nos permitem confeccionar próteses sem o uso de metal, o qual poderia acinzentar o resultado final da restauração. Com o uso das próteses de cerâmica pura o comportamento óptico desse material em boca garante um aspecto de grande naturalidade e beleza ao dente restaurador.

Incisivo central superior direito com prótese metalocerâmica. Aspecto azincentado da restauração é evidente.

Presença de núcleo metálico que necessita ser mascarado para minimizar o aspecto metálico na restauração final.

Infra-estrutura em cerâmica opaca para mascarar o núcleo metálico.

Restauração de coroa em cerâmica pura minimizando aspecto metálico da restauração.

•Dentes escurecidos ou muito restaurados

Para dentes escurecidos ou amplamente restaurados a indicação pode estar voltada ao uso de facetas estéticas para harmonizar forma e cor. As facetas podem ser feitas com resina composta de uso direto, quando estivermos frente, por exemplo a um único dente escurecido ou ainda muito restaurado. Porém quando vários dentes estão envolvidos no trabalho as resinas de uso direto não são mais indicadas devido a dificuldade de acerto de forma anatômica e  devido a maior quantidade de material sendo apenas fotopolimerizado na boca. As facetas cerâmicas são mais indicadas para casos de mais dentes envolvidos pois elas podem ser confeccionadas laboratorialmente, facilitando a confecção e coladas ao s dentes de forma adesiva. Os preparos nos dentes parar receber facetas de resina ou de cerâmica são parecidos e exigem pequeno desgaste da estrutura dental, sendo esta última um pouco mais invasiva que a primeira.

Dentes anteriores com várias restaurações e com dente 21 com escurecimento devido a tratamento endodôntico.

Visão intra-bucal.

Facetas cimentadas. Note harmonização de forma e cor.

Sorriso final restaurado. Facetas cerâmicas. TPD: Marcelo Vieira.

 

Grandes perdas de estrutura e grandes restaurações metálicas

Nesses casos as restaurações diretas em resina composta (feitas diretamente na boca) tem limitações devido a dificuldade em devolver a forma anatômica ao dente e também por causa das limitações nas propriedades mecânicas do material quando ele é usado em maior volume do que a correta indicação. Para esses casos devemos optar por restaurações indiretas onde o dente é preparado e moldado para a restauração ser confeccionada fora da boca em modelo de gesso. Dessa forma o material pode receber tratamentos específicos (térmicos sob pressão) onde as propriedades mecânicas do material restaurador serão aumentadas. Estas restaurações recebem o nome de “inlays, onlays e overlays” dependendo da extensão e podem ser feitas em cerâmica ou em resina laboratorial. A confecção dessas peças não envolve muito desgaste da estrutura remanescente pois geralmente o preparo fica restrito a remoção do material antigo ou ainda as peças vão simplesmente repor a estrutura que já estava perdida. Extensas restaurações em amálgama nos pré-molares.

Amplas restaurações de amálgama.

Remoção da restauração antiga e preparo para restaurações indiretas cerâmicas (onlays)

Caso finalizado. Onlays cerâmicos.

 

•Restaurações em amálgama

A troca de restaurações antigas de amálgama por restaurações estéticas em resina composta é muito comum hoje em dia. As resinas compostas atuais apresentam propriedades mecânicas suficientes para serem aplicadas nesses casos, porém uma apurada técnica para confecção dessas restaurações em resina é necessária. Ainda é interessante citar que os materiais resinosos são “colados” ao dente e por isso funcionam como uma proteção ao remanescente dentário diminuindo as chances de fratura dental, como ocorre mais comumente nas restaurações metálicas.

Restaurações com aspecto metálico. Amálgama.

Simples remoção do material restaurador metálico.

Restaurações estéticas em resina composta.

Restaurações em resina composta concluídas.

 

 

•Cáries

Pacientes com lesões cariosas devem ser tratados de forma ampla e conjunta. A conscientização  do paciente em alterar seus hábitos de higiene bucal e alimentares devem vir associadas a procedimentos profiláticos e terapias com flúor até o controle da doença cárie. As lesões podem ser tratadas de forma inicial com restaurações provisórias  com materiais que contenham flúor na composição (Cimentos ionoméricos) e posteriormente substituídas por restaurações estéticas em resina composta.

Esquema de progressão da cárie. 1 - cárie em esmalte. 2 - cárie já atingindo tecido dentinário. 3 - cárie atingindo tecido pulpar e causando lesão apical, com necessidade de tratamento endodôntico (canal). Esquema extraído do site www.google.com.

•Sorriso com Excesso de Gengiva

Quando o paciente apresenta um sorriso com excessiva exposição gengival existe a possibilidade da indicação do aumento de coroa clínica que consiste em uma cirurgia plástica gengival que estabelece uma proporção mais equilibrada entre dentes e gengiva de forma a estabelecer um sorriso mais belo e harmônico. O procedimento é simples e muito seguro e o resultado que pode ser alcançado é muito promissor.

 

•Dentes escurecidos por fatores externos(alimentares ou hábitos)

Os dentes naturais com o tempo vão sendo impregnados com resíduos pigmentados oriundos da alimentação e de hábitos do dia a dia. Este escurecimento é normal e mostra-se mais exacerbado em pessoas que consomem com freqüência alimentos ou bebidas muito pigmentados (café, chá preto, vinho tinto, beterraba, etc) ou ainda em fumantes devido a impregnação da nicotina sobre os dentes. Apenas a profilaxia periódica muitas vezes não é suficiente para a remoção desse escurecimento e a partir desse ponto indica-se o clareamento dental. O clareamento é baseado no uso de peróxido de hidrogênio ou carbamida que remove as moléculas de cor dos dentes deixando-os mais brancos. Há três possibilidades de clareamento: a de consultório  onde o produto aplicado é mais concentrado e ele ainda pode ser associado a ativação de luz (LED LASER) ou não; a técnica caseira que na qual o produto aplicado é menos concentrado e o paciente faz uso diário do clareador sob supervisão do profissional; técnica associada onde soma-se as duas técnicas descritas anteriormente e que muitas vezes traz resultados interessantes e duradouros.

 

Dentes naturalmente escurecidos (pigmentação exógena).

Sorriso após realização do clareamento dental.

•Fraturas em dentes anteriores

Dentes anteriores fraturados são muito comuns, principalmente em crianças e adolescentes. A solução para estes casos envolve duas alternativas dependendo da conservação do fragmento dental fraturado. Ele pode ser colado quando tiver uma boa adaptação ao remanescente dental ou ainda o dente pode ser totalmente restaurado quando o fragmento for perdido ou não apresentar condições de ser utilizado. O material de escolha para crianças e adolescente é a resina composta. Ambas possibilidades podem devolver função e estética ao dente fraturado. Um fator importante nesses casos é manter o fragmento do dente fraturado hidratado até o agendamento com o cirurgião dentista, por isso mantenha-o imerso em água, leite ou até mesmo a própria saliva do paciente.

 

Dentes anteriores fraturados.

Restaurações em resina composta.